Perguntas Frequentes

Trata-se de uma película pegajosa e incolor, constituída de bactérias e restos alimentares que se forma sobre os dentes. É a principal causa de cárie e gengivite. Todos nós temos placa bacteriana porque as bactérias estão sempre presentes em nossa boca. As bactérias aproveitam os nutrientes contidos nos alimentos que ingerimos e aqueles contidos na saliva para se desenvolver. A placa causa a cárie quando os ácidos que ela produz atacam os dentes, o que acontece após as refeições. Sofrendo esses ataques repetidos, o esmalte dos dentes pode se desfazer e abrir caminho para a formação de cárie. Não sendo retirada, a placa bacteriana pode também irritar a gengiva ao redor dos dentes, causando gengivite (a gengiva fica vermelha, incha e sangra), periodontite e perda dos dentes.

O tártaro é formado quando a placa bacteriana fica muito tempo sem ser removida, principalmente nos locais de difícil higienização, sendo que os minerais existentes na saliva, começam a depositar-se sobre esta placa bacteriana antiga, petrificando-a uma vez petrificada, esta placa passa a chamar-se tártaro. O tártaro, agrava ainda mais a cárie e as doenças periodontais (gengivite e periodontite), pois quando os minerais se depositam sobre a placa bacteriana, a superfície torna-se rugosa, o que colabora para que uma nova deposição de placa ocorra devido à aspereza da superfície petrificada. Está nova deposição de placa irá petrificar-se com o tempo e desta forma o tártaro irá crescer em espessura, extensão e em gravidade.

Sim. As doenças bucais podem contribuir para o aparecimento de problemas cardíacos, enfartes, diabetes, nascimentos de bebês prematuros e pneumonia. Por exemplo, quando a doença periodontal do diabético é tratada adequadamente, manter o controle dos níveis de glicose no sangue se torna muito mais fácil.
É importante entender que nada é melhor para a limpeza da boca do que uma boa pasta dental, uma escova de qualidade e se possível o fio dental. Realmente o chiclete remove sujeiras superficiais e restos de alimentos, mas precisa ser sem açúcar. O chiclete também aumenta o fluxo salivar que ajuda a eliminar restos de alimentos após as refeições e aumentando o PH da boca.
Cárie dentária é uma doença bacteriana como tantas outras, que resulta na destruição da estrutura dentária onde está localizada. Ela é também considerada infecciosa e fortemente influenciada pela presença dos carboidratos da dieta e pela ação dos componentes da saliva.
É muito bom que se diga que os casos de halitose não podem ser explicados por um único mecanismo. Existem casos de halitose tanto por razões fisiológicas (que requerem apenas orientação) como por razões patológicas (que requerem tratamento); por razões locais (feridas cirúrgicas, cárie, doença periodontal, etc.) ou sistêmicas (diabetes, uremia, prisão de ventre, etc.). Por isso, pode-se concluir que todas as possíveis causas devem ser investigadas e que o tratamento será direcionado de acordo com a causa identificada. No entanto, 96% ou mais dos casos de halitose se devem à presença de saburra lingual e, assim, devem ser tratados.
Apesar de os dentes mostrarem alguns sinais de mudanças com a idade, estas não são específicas do envelhecimento. As alterações apresentadas na terceira idade podem ter sido por causa da cárie, doença periodontal (doença inflamatória que acomete os tecidos de suporte e sustentação dos dentes), higiene bucal deficiente, dentes em má posição e hábitos para-funcionais (bruxismo). Contudo, com o envelhecimento observa-se um escurecimento dos dentes devido à mudança de cor da dentina que fica mais amarelada e o esmalte fica mais transparente.
Não, somente quando não há espaço para eles nascerem ou se estiverem em posição irregular, podendo prejudicar o dente vizinho ou até mesmo desenvolver lesões enquanto inclusos.
Os implantes são um meio para colocar um dente artificial sem desgastar os naturais. A cirurgia de colocação de um implante consiste na inserção de uma raiz artificial no osso que vai ancorar o futuro dente. Este novo dente artificial é uma prótese que visa restabelecer a estética e função perdidas. A palavra "prótese" significa algo que é diferente do original. Sendo assim, a colocação de implantes é mais uma modalidade de tratamento que visa solucionar a ausência de dentes. Contudo, jamais pode ser comparada aos dentes naturais sadios. Um implante só será melhor que um dente se este estiver condenado ou se o tratamento de toda a arcada exigir a remoção de alguns elementos isolados.
De forma alguma. Em algumas situações, onde iremos realizar grandes reabilitações envolvendo uma arcada completa, poderemos remover alguns poucos elementos. Isto ocorre quando iremos colocar vários implantes para suportar uma prótese total (de toda a arcada) e existem alguns poucos dentes que, apesar de não estarem totalmente comprometidos, poderão interferir no tratamento dos implantes. Neste caso, é melhor removê-los, pois colocaria em risco a reabilitação de toda a arcada.
Como existem especialistas em áreas de tratamento de gengivas (periodontistas) ou de crianças (odontopediatras), por exemplo, existem especialistas em implantes dentários que são igualmente normatizados e regulamentados pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO) como os especialistas em instalação de implante dentário e confecção de próteses sobre implantes dentários. Estes, depois de cursarem a faculdade de Odontologia, fazem um outro curso com mais de mil horas de carga horária e dois anos de duração, exclusivamente voltado ao conhecimento dos implantes dentários e dos procedimentos ligados à Implantodontia.
Uma das respostas é: "não é caro, pois tratamento por implantes dentários vale cada centavo! Caro mesmo é ficar sem dentes, com baixa autoestima, sorrindo com as mãos na boca e desenvolvendo uma úlcera ou gastrite em função da mastigação comprometida. " A reabilitação oral utilizando implantes é um tratamento diferenciado na Odontologia. A sua execução pode envolver mais de um profissional e todos altamente qualificados. Além disso, existe a interação com o laboratório de prótese, que é o técnico que constrói o dente fora da boca. A parte protética tem que ser 100% "sob medida", ou seja, cada boca é uma boca única, e não se tem ganhos de escala que ajudem a reduzir o preço. Até que uma prótese "total" parafusada em implantes fique pronta "e ajustada", ela vai consumir de 08 a 10 consultas de 1 hora ou mais, sem contar as horas de trabalho do protético. O investimento necessário em aparelhos bem específicos e materiais de boa qualidade para cada etapa dos procedimentos de implantes também são bem elevados. Essa variedade de atendimento acaba por encarecer o processo. Mesmo assim, ainda é um procedimento que oferece uma boa relação custo-benefício. Devemos lembrar que, acima de tudo, um implante bem feito deve durar por muito tempo. O paciente efetuando toda a manutenção corretamente e tendo o cuidado diário, como o profissional aconselha, poderá desfrutar desse investimento para toda a sua vida.
  • As evidências sugerem que os cuidados com os dentes surgiram há mais de 4 mil anos na Mesopotâmia onde hoje fica o Iraque.
  • A Santa protetora dos dentistas é a Santa Apolônia.
  • Você sabia que a boca é o local com maior número de microrganismos do nosso corpo?
  • A cavidade oral é a porta de entrada do nosso organismo. Através dela, ingerimos os alimentos e também o ar que respiramos. Esse portal permite que entremos em contato com os mais variados espécimes microscópicos, que colonizam nossas mucosas e dentes. Muitos desses microrganismos são inofensivos e fazem parte da fisiologia de qualquer indivíduo. Entretanto, outros são nocivos não só à nossa saúde oral, como também à saúde geral. Pesquisas antigas e recentes têm demonstrado que muitos microrganismos presentes na boca também são encontrados em outros órgãos, como coração, pulmão e fígado, demonstrando uma correlação entre a boca e muitas outras doenças, como diabetes, cardiopatias etc. Tão importante quanto é você investir em uma reabilitação oral, também é imprescindível manter sempre a higiene bucal adequada e retornar a um dentista que tenha conhecimento dessa interatividade entre as diversas especialidades médicas e odontológicas.