Enxerto Ósseo

Procedimento que visa ao aumento da altura ou da espessura do osso no local em que será feita a cirurgia de enxerto ósseo, permitindo a instalação de implantes dentários.

Dra. Tatiana Luebke

Quando um dente é perdido, o osso que estava ao seu redor é reabsorvido. Já que o implante deve ser sempre colocado no osso, quando esse não está mais presente torna-se necessário a colocação de enxertos ósseos que aumentarão a altura e espessura do osso disponível para colocação de implantes dentários.

A manipulação de tecidos bucais para estética e para possibilitar a colocação de implantes dentários é uma realidade cada vez mais cotidiana nas clinicas odontológicas mais avançadas.

Em alguns casos, principalmente quando o defeito ósseo for muito grande, o seu dentista utilizará um fragmento ósseo de outra área de seu maxilar ou até raramente de outro osso do corpo (enxerto autógeno). Mas na maioria dos casos podemos usar um enxerto de laboratório que pode vir ou de bancos de tecidos da mesma espécie (enxerto alógeno), de origem animal, sendo o mais comum o osso de origem bovina (enxerto xenógeno) ou de origem sintética (enxerto aloplástico)

O melhor tipo de enxerto a ser utilizado depende da situação de cada paciente. Para que isso possa ser determinado devemos fazer um correto diagnóstico através de um exame clinico, radiografias convencionais e tomografias computadorizadas, exames laboratoriais, avaliação oral, sistêmica, oclusão entre outros. Esses fatores devem ser cuidadosamente avaliados e discutidos com cada paciente antes de iniciar o tratamento.